(14) 3407-8000 | (14) 98165-9435 | (14) 99850-1460 | (14) 99770-8001

Postado em 24/01/2020

Conheça um pouco mais sobre o novo vírus que pode causar problemas respiratórios, o Coronavírus

NOTA TECNICA Nº 08 A - EMERGENCIA EM SAÚDE
PÚBLICA DE IMPORTANCIA INTERNACIONAL

 

Coronavírus

 

É um vírus que causa a síndrome respiratória aguda grave afetando principalmente o trato
respiratório superior em seres humanos, em animais pode causar lesões nos sistemas
respiratório, hepático, gastrointestinal e neurológico.

 

AGENTE ETIOLÓGICO
Família: CORONAVIRIDAE

 

Gênero
O gênero Coronavírus é subdividido em três grupos principais, com base em propriedades
genéticas e sorológicos. Cada grupo inclui muitos vírus que causam problemas de doença no
homem, animais ou aves (Tabela 1).

 

 

Sorologia: tipos I, II e IIII.
Gênero: Coronavirus - 2 sorotipos protótipos: HCV-229E e HCV-OC43; SARS
CoV (cepa Urbani, 2003); HCoVNL63 (Holanda, 2004) & CoV-HKU1 (China, 2005).
Humanos tipos I e II
Existem dois grupos antigênicos de coronavírus humano, representados pelas cepas
229E (Human corona do grupo 1) e OC43 (Human corona do grupo 2).

 

TRANSMISSÃO:
Em humanos pode ser transmitido principalmente pelas gotículas respiratórias, por tosses e
espirros em curta distância, também sendo transmitido por objetos contaminados pelo vírus
ou até mesmo pela disseminação pelo ar, afetando principalmente pessoas com a imunidade
debilitada. A sobrevivência do vírus vai depender de um meio que favoreça sua manutenção
no ambiente.

 

PERÍODO DE INCUBAÇÃO:
O período de incubação do Coronavirus é de cerca de 2 a 7 dias podendo chegar a 14 dias.
SINAIS CLÍNICOS:
Os sinais clínicos são de febre, calafrios, dor de cabeça, mal-estar, dores no corpo, podendo
apresentar diarreia (em 10 a 20% dos casos), os sintomas evoluem para tosse seca não
produtiva, com hipóxia onde cerca de 10 a 20% dos pacientes necessitam de ventilação
mecânica para manter os níveis normais de oxigênio. A maioria dos casos de síndrome
respiratória aguda grave por Coronavirus evoluem para pneumonia.

 

DIAGNÓSTICO:
O diagnóstico pode ser feito com amostras de sangue, fezes ou secreções nasais, através de
testes sorológicos, PCR (Reação em Cadeia da Polimerase) ou cultura viral.

 

TRATAMENTO:
O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda que o tratamento para
pneumonia causada por Coronavirus deve seguir o mesmo tratamento para as outras
pneumonias adquiridas, medicamentos antivirais estão sendo testados para encontrar um
tratamento eficaz contra o Coronavirus.

 

PREVENÇÃO:
As medidas de prevenção incluem higienização das mãos lavando com água e sabão,
utilizando álcool, não tocar os olhos, boca e nariz com as mãos sujas, cobrir nariz e boca ao
tossir ou espirrar.

 

ATENÇÃO:
a) Por não existir ainda maiores informações sobre o agente em questão
alertamos a toda a rede de vigilância e assistência para maior atenção
Secretaria de Estado da Saúde
Departamento de Vigilância e Controle em Agravos Estratégicos- DECA
Centro de Informações Estratégicas e respostas de Vigilância em Saúde
Rua Piquirí, 170 Curitiba Paraná CEP 80230140
Fone (41) 3330-4492 Fax (41)3330-4493 – 0800 6438484
Email urr@sesa.pr.gov.br
na vigilância de doenças respiratórias agudas considerando o conceito de
casos suspeitos.

 

DEFINIÇÃO DE CASO PARA INVESTIGAÇÃO DE DOENÇA RESPIRATÓRIA GRAVE ASSOCIADA
COM O NOVO CORONAVIRUS ( Conceito da OMS)
 PACIENTE SOB INVESTIGAÇÃO
DEFINIÇÃO CLINICA:
PACIENTE HOSPITALIZADO COM SINDROME RESPIRATÓRIA AGUDA COM FEBRE
( ≥ 38C ) E TOSSE.

 

OU

 

PACIENTE COM SUSPEITA DE COMPROMETIMENTO DO TRATO RESPIRATÓRIO INFERIOR
IDENTIFICADO POR AVALIAÇÃO CLINICA OU EVIDÊNCIA RADIOLÓGICA DE
CONSOLIDAÇÃO NÃO ATRIBUÍVEL A OUTRA ETIOLOGIA.

 

E

 

CRITÉRIO EPIDEMIOLÓGICO:
CONTATO PRÓXIMO ATÉ 10 DIAS ANTES DO INICIO DOS SINTOMAS
- COM CASO PROVÁVEL OU CASO CONFIRMADO DE INFECÇÃO PELO NOVO
CORONAVÍRUS DURANTE O PERÍODO DE DOENÇA DESSES.

 

OU

 

- HISTÓRICO DE VIAGEM OU RESIDÊNCIA EM UMA ÁREA ONDE O NOVO CORONAVÍRUS
FOI NOTIFICADO OU ONDE A TRANSMISSÃO PODERIA TER OCORRIDO ( ATÉ O
MOMENTO: ARÁBIA SAUDITA E QATAR).
 CASO PROVÁVEL PELO NOVO CORONAVÍRUS
QUALQUER CASO QUE SE ENQUADRE NA DEFINIÇÃO CLÍNICA E EPIDEMILÓGICA ACIMA
SEM CONFIRMAÇÃO LABORATORIAL.
 CASO CONFIRMADO DE INFECÇÃO PELO NOVO CORONAVÍRUS
QUALQUER CASO COM CONFIRMAÇÃO LABORATORIAL DA INFECÇÃO PELO NOVO
CORONAVÍRUS.

 

Definição de contato próximo:
- Qualquer pessoa que tenha atendido um caso confirmado ou caso provável
incluindo pessoal dos serviços de saúde ou familiares.
- Qualquer pessoa que permaneceu no mesmo ambiente (morando, em visita...) com
caso confirmado ou caso provável durante o período de doença desses.
- Qualquer pessoa com exposição casual próxima com caso confirmado ou caso
provável em: avião, táxi, veículo particular, sala de aula...

 

Secretaria de Estado da Saúde
Departamento de Vigilância e Controle em Agravos Estratégicos- DECA
Centro de Informações Estratégicas e respostas de Vigilância em Saúde
Rua Piquirí, 170 Curitiba Paraná CEP 80230140
Fone (41) 3330-4492 Fax (41)3330-4493 – 0800 6438484
Email urr@sesa.pr.gov.br

 

b) Pautado no exemplo da pandemia da SARS em 2003, onde o grupo
de mais alto risco para infecção foram os profissionais de saúde que
atenderam os casos, favor observar rigorosamente as medidas de
bioseguranca/boas praticas em serviços de saúde, monitorando
cuidadosamente todos os comunicantes de caso suspeito, em especial os
profissionais de saúde.

 

TODO O CASO SUSPEITO DEVERÁ SER IMEDIATAMENTE NOTIFICADO AO
CIEVS PARANÁ E MANTIDO SOB ISOLAMENTO RESPIRATÓRIO ESTRITO SE
POSSIVEL EM PRESSÃO NEGATIVA.

 

Fonte: OMS e CDC

FAEF FAIT FAIP Eduvale

Newsletter

Receba informativos e novidades em seu email


Fale Conosco

(14) 3407-8000 | (14) 98165-9435 | (14) 99850-1460 | (14) 99770-8001
Copyright © 2017 GRUPO FAEF. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por StrikeOn.